Osteopatia Pediátrica  |  Carcavelos Cascais 

 

O que é e como surgiu?

 

A Osteopatia Pediátrica é um conceito relativamente recente em Portugal, ao contrário de alguns países da Europa - França, Inglaterra, Bélgica.  Podemos dizer que a osteopatia Infantil ou Pediátrica não é mais do que a Osteopatia adaptada  à estrutura e ao crescimento do bebé e da criança, mas nem todos os osteopatas estão aptos para trabalhar nesta área, apenas os que se especializaram.

 

 

Se há algo que diferencia a Osteopatia em adultos e a Osteopatia em bebés e crianças é o facto de estes estarem em fase de crescimento e formação.

É de extrema relevância trabalhar na fase de crescimento, pois qualquer indício de que algo não se está a formar bem, temos a oportunidade de corrigi-lo, na medida do possível: as deformações vertebrais que iriam produzir uma escoliose, as deformações dos ossos do cranio que produzem uma plagiocefalia, o mau alinhamento corporal que produz um valgo ou varo dos joelhos e pés; podemos incidir nas correcções posturais da coluna, pelvis, marcha. Em Osteopatia Pediátrica trabalha-se a favor do crescimento e da expressão cinética dos tecidos em formação."                                 

         

O que trata a Osteopatia pediátrica?

O bebé é sujeito a muitas pressões na barriga da mãe. Conforme a gravidez avança o bebé cresce e o espaço para ele se mover vai diminuindo proporcionalmente. O momento do parto é mais um factor de compressão do bebé, quer pela expulsão pelo canal vaginal quer pela incisão da cesariana, tal como a compressão que sofre com as contracções do trabalho de parto. A utilização de ventosas ou fórceps acrescentam mais um factor de compressão, tal como os estimulantes das contracções (para provocar o parto). 

Todos estes factores provocam alterações no corpo do recém-nascido, por vezes visíveis, como é o caso dos torcicolos e das assimetrias do crânio logo ao nascer, mas estas alterações muitas vezes passam despercebidas, sendo postas em evidência na avaliação osteopática. No caso de serem assimetrias ligeiras, podem ser encaradas apenas como uma ligeira questão "estética". As alterações referidas podem ter como causa todas estas forças de compressão e torsões a que o bebé é sujeito.

 

No que respeita à estética, sendo uma alteração ligeira da forma do crânio, o corpo corrige e o cabelo cresce, não constituindo um problema para o futuro nesse campo. O que realmente interessa é que o osteopata, ao avaliar o bebé, verifique se existe uma boa mobilidade do crânio e uma normal tensão de todos os tecidos, de modo a que não se possibilite a ocorrência de assimetrias no crescimento e compressões neurais de futuro, tais como dos nervos cranianos oculares e os responsáveis pela deglutição e musculatura da língua por ex., que atravessam diversas estruturas intracraniais. Estas estruturas devem ter o movimento normal conservado e o modo de possibilitar esta normal mecânica é recorrendo à osteopatia o mais cedo possível.

 

ATENÇÃO: A CONSULTA DE OSTEOPATIA NÃO SUBSTITUI A DO MÉDICO PEDIATRA. TODOS OS BÉBÉS DEVEM SER SEGUIDOS PELO SEU MÉDICO PEDIATRA OU MÉDICO ASSISTENTE.

 

A osteopatia pediátrica utiliza técnicas suaves, muito centradas no crânio do bebé, pois é desta região que saem estruturas responsáveis pela deglutição, sucção, tal como para o sistema digestivo (estômago, fígado, intestinos..).

 

Os casos mais frequentes e apropriados para trabalhar com Osteopatia em bebés e crianças são:

Transtornos digestivos no lactente tais como cólicas e refluxo gastro-esofágico frequente

Torcicolos

Otites de repetição 

Escolioses

Deformações craniais no lactente

Subluxação da anca no lactente, em conjunto com as ortóteses necessárias

Valgo e varo dos joelhos na criança

Lesões ligamentares e tendinosas na criança

Lesões da ATM (articulação da mandibula com o maxilar) e bruxismo em crianças. Em casos de má oclusão tem que se trabalhar em conjunto com o dentista desta especialidade, pois há necessidade de avaliação e tratamento ortodôntico, em que o aparelho corrige a posição dos dentes e o osteopata equilibra as estruturas crânio-mandibulares e cervicais que originam a má oclusão.

 Dra. Vera Barata Osteopata e Fisioterapeuta certificada 

 

 Pediatric Osteopathy  |   Sabeanas Clinic - Carcavelos    Birre Medical Clinic - Cascais 



What is it and how it came about?

 Pediatric Osteopathy is a relatively recent concept in Portugal, unlike some European countries - France, England, Belgium. We can say that osteopathy Infant or Pediatric is no more than Osteopathy adapted to the structure and growth of the baby and the child, but not all osteopaths are able to work in this area, only those who specialize.


If there is something that differentiates osteopathy in adults and osteopathy in infants and children is that they are in the growth phase and training.

It is extremely important work in the growth phase, as any indication that something is forming well, we have the opportunity to fix it, as far as possible: the vertebral deformations that would produce a scoliosis, the deformations of the bones cranio that produce a plagiocephaly, bad body alignment that produces a valgus or varus knees and feet; we can focus on the postural adjustments of the spine, pelvis, march. 





 

What is pediatric Osteopathy?


The baby is subjected to many pressures in the womb. As the pregnancy progresses the baby grows and space for him to move decreases proportionately. The time of delivery is another baby compression factor both for expelling the vaginal canal either by the cesarean section, such as compression suffering from contractions of labor. The use of forceps or suction adding an additional compression factor as the stimulating contractions (to cause delivery).



All these factors cause changes in the newborn's body, sometimes visible, as is the case of torticollis and skull asymmetry at birth, but these changes often go unnoticed, being put in evidence in osteopathic evaluation. If they are slight asymmetries can be seen only as a slight issue "aesthetic". These changes can be caused by all these forces of compression and torsion that the baby is subject.



With regard to aesthetics, with a slight change of the shape of skull, and fixes the body hair grows and does not constitute a problem for the future in the field. What really matters is that the osteopath, to evaluate the baby, make sure there is good mobility of the skull and a normal stress of all tissues, so that does not enable the occurrence of imbalances in growth and neural future compressions, such as ocular cranial nerves and the muscles responsible for swallowing and language eg., crossing several intracranial structures. These structures must have maintained normal movement and allow this mechanical way of using the osteopathy is normal as early as possible.



Pediatric Osteopathy uses soft techniques, very centered in the baby's skull, it is this region that come out structures responsible for swallowing, sucking as for the digestive system (stomach, liver, intestines ..)



 

The most frequent cases and appropriate to work with Osteopathy in infants and children are:
 

Digestive disorders in infants such as cramps and frequent gastroesophageal reflux

Torticollis

Recurrent otitis

Scoliosis

Cranial deformities in infants

Any mechanical malfunction produced in any of the 12 cranial nerves in infants and in some cases in children

Hip subluxation in infants, along with the necessary orthoses

Valgus and varus knee in children

Injuries TMJ (jaw joint with jaw) and bruxism in children

Ligament and tendon injuries in children

 

 Dra. Vera Barata Licenced Osteopath and phisical Therapist 

 Clínica Sabeanas  Carcavelos

 

Gabinete de Osteopatia e Fisioterapia

Carcavelos  218 025 501 ||  929 144 622  

Cascais 214 860 306  ||  926 392 198

Visite a Clínica sabeanas

 www.clinicasabeanas.pt

 

Visite a Birre Medical clinic

www.birremedical.com

 

Visite a Bonfante Dental Clinic

www.bonfante.pt 

Mais acerca da Osteopatia:

www.osteopatiacomfisioterapia.blogspot.pt

Dra. Vera Barata

É certificada em todas as áreas da Osteopatia e da Fisioterapia, utilizando estes pilares importantes na sua prática clínica. O facto de ter formação de 10 anos no Ensino Superior nestas duas áreas da saúde é uma mais valia para a obtenção de bons resultados.

Osteopata e Fisioterapeuta com as cédula profissionais nr 0100186 e nr 034547070, respectivamente.

Ver CV